Bons Exemplos
Região Sul Imprimir E-mail

Coordenação regional: DESER – Departamento de Estudos Sócio-Econômicos e Rurais

APACO – Associação dos Pequenos Agricultores do Oeste Catarinense

A Rede de Agroindústrias Familiares da APACO – Associação dos Pequenos Agricultores do Oeste Catarinense, com sede em Chapecó – SC, reúne doze cooperativas de agricultores familiares, com 117 agroindústrias e mais de 600 famílias envolvidas na produção de 784 itens de produtos tais como: embutidos em geral, laticínios, mel, derivados da cana de açúcar, ovos, panificios, conservas, doces, entre outros. A Apaco através de sua base de serviços (UCAF – Unidade central das Agroindústrias Familiares do Oeste Catarinense) desenvolve atividades de apoio as unidades agroindustriais, como elaboração de projetos de contabilidade, gestão, rótulo, responsabilidade técnica, marca, código de barras, etc.  Comercializa os produtos diretamente aos consumidores, em feiras, pequenos mercados e através do PAA – Programa de Aquisição de Alimentos do Governo Federal e merenda escolar, na região do Oeste Catarinense. Na APACO a produção e a comercialização são coletivas, o beneficiamento não.

Contato:
Diva Vani Deitos               
Rua Clevelândia, 315 D – Centro
CEP: 89802-560 – Chapecó – SC
Tel. /Fax: (49) 3322 0154
Site: http://www.apaco.org.br/
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

COPAVI - Cooperativa de Produção Agropecuária Vitória Ltda.

A COPAVI - Cooperativa de Produção Agropecuária Vitória Ltda., do assentamento Santa Maria em  Paranacity-PR, reúne 24 famílias organizadas de forma coletiva, que trabalham na produção agroecológica, beneficiamento e comercialização dos seguintes produtos: açúcar mascavo, melado, cachaça, queijo, iogurte, doce de leite e verduras. A comercialização de seus produtos é feita em diversos canais: comercialização direta de porta-em-porta, venda em pontos comerciais de Paranacity e Cruzeiro do Sul, nas Lojas da Reforma Agrária, (ligadas ao MST - Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), e até mesmo a exportação através do comércio justo. As discussões sobre a valorização do trabalho são bem interessantes, como por exemplo os trabalhos mais braçais devem ser mais bem remunerados. No assentamento a produção, comercialização e beneficiamento são coletivos.

Contato:
Contato:
Adilson Gumieiro
Assentamento Santa Maria – PR 464 – Km 01
Caixa Postal 161
CEP: 87660-000 - Paranacity - PR 
Tel. /Fax: (44) 3463 1367
blog: http://antonio-ozai.blogspot.com/2008/11/cooperativa-de-produo-agropecuria.html
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

COORLAC - Cooperativa Riograndense de Laticínios e Correlatos Ltda.

A COORLAC - Cooperativa Riograndense de Laticínios e Correlatos Ltda., é uma das experiências de empresa recuperada mais exitosas do Brasil, atuando desde fevereiro de 1994. Sediada em Erechim no estado do Rio Grande do Sul, a COORLAC envolve 6.000 agricultores e agricultoras, 200 cooperativas em mais de 200 municípios, produzindo mais de 40 tipos de produtos derivados do leite, comercializados em mais de três estados, através de estratégias eficientes de venda no mercado convencional. Vendem o leite in natura, e há muito pouco tempo começaram a se identificar pelo aspecto social da produção, afirmando ser o leite da agricultura familiar. Não há comercialização coletiva, somente a produção e o beneficiamento.

Contato:
Osmar Redin
Rua João Massignan, 533 – Centro
CEP: 99700-000 – Erechim – RS
Tel. /Fax: (54) 3321 1255
Cel.: (54) 9922 5647
Site: http://www.corlac.com.br/
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

COOESPERANÇA - Cooperativa Mista dos Pequenos Produtores Rurais e Urbanos

A COOESPERANÇA - Cooperativa Mista dos Pequenos Produtores Rurais e Urbanos (vinculado ao  Projeto Esperança Ltda.) é uma das experiências pioneiras de economia solidária em nosso país, trabalhando pela e para a autogestão desde 1987 com o início do Projeto Esperança, envolvendo hoje 230 empreendimentos em mais de 20 municípios da região e 4.500 famílias em um circuito de produção rural e urbana que escoa sua produção em distintos canais de comercialização próprios, como feiras permanentes e lojas. O Projeto Esperança realiza a Feira Mercosul Solidário de Economia Solidária.

Contato:
Lourdes Maria Stanelt Dill
Rua Silva Jardim, 1704 – Centro
CEP: 97010-490 – Santa Maria – RS
Te.:: (55) 3219 4599 / 3223 0219
Site: http://www.esperancacooesperanca.org.br/index.html
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Rede ECOVIDA de Agroecologia e Certificação Participativa

O circuito de comercialização da Rede Ecovida de Agroecologia e Certificação Participativa funciona com objetivo de abrir canais solidários de comercialização para os produtos agroecológicos produzidos por mais de 300 famílias de agricultores da Rede Ecovida, através do intercâmbio de informação de oferta e demanda entre eles, como forma de otimizar as oportunidades de venda e de aproveitamento logístico de transporte e armazenagem.
O Circuito opera em duas grandes rotas de comercialização, através de oito estações-núcleo, espalhadas pelos três estados da Região Sul. A Rede Ecovida hoje representa 2.700 famílias, organizadas em 270 grupos, associações e cooperativas, 10 cooperativas de consumidores, e 30 ONGs, em 190 municípios dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, e Paraná. Envolvem um trabalho de apoio a comercialização e também de escambo entre os grupos.

Contato:
Érika Sage
Rua Mario Bordingnon, 1274 – Harmonia.
CEP: 88990-000 – Praia Grande – SC.
Tel. /Fax: (48) 3334-3176
Site: http://www.ecovida.org.br/
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Mundo Paralelo

As lojas Mundo Paralelo, no Rio Grande do Sul, são um empreendimento da Cooperativa de Consumo e Comercialização Popular Solidário – Consol, para apoiar a comercialização e incentivar o consumo de produtos com origem na Economia Popular Solidária. Atualmente com dois endereços, um em Porto Alegre e outro em Novo Hamburgo, as lojas reúnem produtos de mais de 50 grupos da Economia Solidária de todo o Brasil, como alimentos, artesanato, confecções, calçados, decoração, entre outros.
Além da venda de produtos, as duas lojas oferecem um serviço de café-bar, também vendendo produtos da Economia Solidária. A proposta como um todo inclui também a organização de escritório de negócios e de venda pela Internet, sendo apoiada pela Secretaria Nacional de Economia Solidária – SENAES, do Ministério do Trabalho e Emprego.

Contato:
Paulo César Linck
Rua Teixeira de Freitas, 72 – Rio Branco
CEP: 93310-050 – Novo Hamburgo – RS
Tel.: (51) 3066 2995
Site: http://www.consolbrasil.com.br
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 
Região Sudeste Imprimir E-mail

Coordenação regional: Instituto Kairós

APAT - Associação dos Pequenos Agricultores e Trabalhadores Rurais

A Associação dos Pequenos Agricultores e Trabalhadores Rurais (APAT) A história da APAT se relaciona ao Sindicato dos Trabalhadores rurais de Tombos (luta por direitos e organização do movimento), a Associação de Mulheres AMART (luta por direitos, fitoterapia e produção de doces, temperos, multimistura) e o Centro de Tecnologias Alternativas – CTA.
A Associação dos Pequenos Agricultores e Trabalhadores Rurais (APAT), representa uma nova forma de organização dos trabalhadores da região de Tombos e Pedra Dourada na Zona da Mata Mineira. Através dessa nova estrutura institucional, apóia a produção e comercialização coletiva dos produtos da Agricultura Familiar incentivando o uso de métodos produtivos alternativos, adequados às condições dos agricultores(as), bem como do meio ambiente, criando um fluxo comercial que envolve aproximadamente 350 famílias de produtores rurais e 100 famílias consumidoras da cidade do Rio de Janeiro.
Tem um mercado do agricultor na cidade onde vendem seus produtos sem agrotóxicos. Estão organizando uma cooperativa de crédito para agricultura familiar e finalizando a estrutura das agroindústrias. Já funcionam de cana (cachaça e açúcar mascavo), milho (fubá e canjiquinha) e café. A de laticínios (leite, manteiga, iogurte, queijo) ainda está sendo instalada. Tudo é aproveitado: as cascas do café e do feijão viram composto e o bagaço da cana vira combustível para o forno.
Os produtores são assessorados pelo CTA – Centro de Tecnologias Alternativas ligado à Universidade de Viçosa que tem escritório em Tombos.

Contato:
Vanderli Pereira Pinheiro (Derli)
Rua Conselheiro Torres, 598 – Centro
CEP: 36844-000 – Tombos - MG 
Tel.: (32) 3751 1745 / 8426 2790
Site: http://www.portaldoagronegocio.com.br/conteudo.php?id=13653
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

MICC - Movimento de Integração Campo Cidade

O Movimento de Integração Campo Cidade (MICC) construiu ao longo dos seus 20 anos de vida uma relação direta entre pequenos produtores familiares do Estado de São Paulo com moradores da Zona Leste do município de São Paulo. Sempre apoiado pela Igreja, desenvolveu um modelo de comercialização diversificado que se baseia principalmente em 3 estratégias: kit com entrega de 8 produtos a cada 15 dias; feirinha, todos os finais de semana em diferentes paróquias da região ao final das missas; e loja aberta todos os dias da semana que comercializa também os de produtos beneficiados pelo grupo de alimentação natural. Através dessa iniciativa proporciona a organização tanto de produtores como também de consumidores, articulando movimentos rurais e urbanos pela valorização da Terra e de quem nela trabalha.

Contato:
Rose Cabral
Rua Bispo Eugênio Demazenod, 463
CEP: 032060- 040 - Vila Alpina - São Paulo- SP
Tel.: (11) 2917 7230
Site: http://www.micc.org.br/
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Bazar Social / MOVIVE

O projeto Bazar Social articula ações que visam o desenvolvimento comunitário de todo o Estado do Espírito Santo. Atualmente, envolve cerca de 60 grupos de artesãos de 16 municípios do Espírito Santo com atividades de formação e com estratégias de comercialização dos artefatos criados. Estes grupos utilizam, em sua grande maioria, matérias-primas naturais como fibra de bananeira, palha de café, conchas e buchas vegetais desenvolvendo produtos que são comercializados nas lojas Arte Solidária, localizadas em Vitória e Vila Velha, e em outros pontos de venda dentro de estabelecimentos parceiros.  O Bazar Social é um projeto elaborado pelo MOVIVE, entidade que apóia também outras atividades, como a Rede Capixaba de Consumo Responsável, criando o contexto para o desenvolvimento do comércio justo e solidário na região. Começaram com patrocínio da Petrobrás, são autogeridos e tem práticas emancipatórias para tentar garantir a sustentabilidade do empreendimento.

Contato:
Tereza Cristina Zanol P S Puppin
Rua Piauí, 19 - Praia da Costa
CEP: 29101-320 - Vila Velha -ES
Tel. /Fax: (27) 3229 8822
Site: http://www.movive.org.br/bazarsocial.htm
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Quilombo de Ivaporunduva

Ivaporunduva é uma comunidade quilombola com 300 anos de idade. É formada por cerca de 100 famílias que ocupam uma área de 2.800 hectares às margens do Rio Ribeira do Iguape, no município de Eldorado, no Sul do Estado de São Paulo. Por localizar-se numa região de Mata Atlântica, possui o desafio de gerar o desenvolvimento econômico da comunidade através de ações de preservação do meio ambiente. Para isso, a partir do ano 2000, junto com o ISA (Instituo Sócio-Ambiental), criaram um projeto de desenvolvimento sustentável que introduziu o cultivo de banana orgânica e o desenvolvimento do artesanato com base na palha da bananeira. Os resultado dessas atividades foram direcionados para o Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar do Governo Federal (PAA) e para lojas especializadas em comercialização de artesanatos.

Contato:
Benedito Alves (Ditão)
Praça Nossa Senhora da Guia, nº 103 - Ivaporanduva
CEP: 11960-000 Eldorado Paulista
Tel.: (13) 3879 5000 / 3879 5001
Site: http://www.quilombosdoribeira.org.br/comunidades/1
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Rede Ecológica

Nascida em outubro de 2001, a partir da iniciativa de alguns moradores do bairro da Urca da cidade do Rio de Janeiro, a Rede Ecológica se expandiu formando uma organização de consumidores que visa fomentar o consumo ético, solidário e ecológico, promovendo iniciativas de educação ambiental e de economia solidária. Uma das principais atividades da Rede Ecológica são as compras coletivas, através das quais, consumidores organizados em núcleos consomem produtos orgânicos de diversos grupos produtivos espalhados pelo Brasil.
Dentre eles então um núcleo de produtores familiares do Brejal (uma localidade rural do distrito da Posse em Petrópolis), assentamentos localizados na Seropédica (outro município do Rio de Janeiro), a Rede de Comercialização Solidária / Empório do Cerrado (que envolve 1.238 famílias de agro-extrativistas, agricultores, pescadores, vazanteiros e guias turísticos, mais de 15.469 pessoas no Estado de Goiás), a APAT (Tombos / MG), e diversos outros grupos. Relação duradoura e estabilidade no preço são fatores positivos da venda pela rede.

Contato:
Miriam Langenbach
NAU (Núcleo de Artes da Urca) - Av. São Sebastião, 117. Tel: 2530-3639.
Tel.: (21) 2295 2576 / 8697 1945
Site: http://www.redeecologica.org/
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. / Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 
Região Centro-Oeste Imprimir E-mail

Coordenação regional: Rede Cerrado

Central do Cerrado

A Central do Cerrado (DF) articula 20 organizações comunitárias com atividades produtivas a partir do uso sustentável da biodiversidade do Cerrado, funcionando como uma ponte entre produtores comunitários e consumidores. Fazem venda direta e venda a varejo.

Contato:
Luís Carrazza
SCLN, 202, bloco B, sala 101 e 104
CEP: 70832-525 Brasília - DF
Tel.: (61) 3327-8085
Site: http://www.centraldocerrado.org.br/
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Central de Comercialização da Economia Solidária de Mato Grosso do Sul

Central de Comercialização da Economia Solidária de Mato Grosso do Sul (MS) comercializa em sua loja em Campo Grande produtos de 43 empreendimentos entre artesãos, extrativismo e produtos agroecológicos, em 13 municípios, dentre eles 08 Projetos de Assentamentos da Reforma Agrária, 02 comunidades remanescentes de quilombos e 02 comunidades indígenas
Todos os custos operacionais do espaço são pagos pelo governo estadual, sendo os lucros e as eventuais perdas divididos entre os associados desta iniciativa autogestionária.

Contatos:
Sebastiana Almire
Rua Candido Mariano, 1500 - Centro
Campo Grande - MS
Tel.: (67) 3382 4021
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

ADAO - Associação para o Desenvolvimento da Agricultura Orgânica

A ADAO - Associação para o Desenvolvimento da Agricultura Orgânica, é um grupo que reúne 6 empreendimentos, 12 agricultores e 50 consumidores na comercialização de hortifruti em Goiânia. Uma especificidade da ADAO é a questão da relação de consumo, a preocupação com o tema e com a perspectiva de juntar esses consumidores ao universo da economia solidária. Eles trazem a visão da ANA – Associação Nacional de Agroecologia sobre a prioridade para cadeias curtas de comercialização.

Contato:
Claudia Araújo Moreira
Rua, 68, nº 279 - Apto – A - Edifício Abreu Castro – Centro
Goiânia-GO
Tel.:  (62) 9633 4801
Blog: http://www.adaogoias.blogspot.com
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Cooperativa dos Agricultores Familiares e Agroextrativistas Grande Sertão

A Cooperativa dos Agricultores Familiares e Agroextrativistas Grande Sertão (MG) tem duas bases de serviço da SECAFES – Sistema Estadual de Comercialização da Agricultura Familiar e Economia Solidária, um assentamento e reúne aproximadamente 1.500 famílias em três territórios do Norte de Minas, para beneficiar e comercializar os frutos nativos, sementes, rapadura, açúcar mascavo, cachaça e mel.

Contato:
José Léles Neto
Av. H. Handersen, 400 – Distrito Industrial
CEP: 39404-005 - Montes Claro - MG
Tel.: (38) 3221 9465
Site: http://www.caa.org.br/grandesertao
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 
Região Norte Imprimir E-mail

Coordenação regional: FASE/PA

COFRUTA - Cooperativa dos fruticultores de Abaetetuba

A COFRUTA - Cooperativa dos fruticultores de Abaetetuba reúne 131 sócios na venda para o mercado local/regional de polpa de frutas (acerola, cajá, açaí e outras frutas de ocasião em menor escala), sementes secas e fermentadas de cupuaçu. As famílias extrativistas da Cofruta promovem regularmente o replantio de frutíferas e a recuperação de áreas degradadas onde o extrativismo é praticado. A Cooperativa obteve a certificação ecológica do açaí produzido pelo Instituto de Mercado Ecológico (IMO), da Suíça, que atesta que o fruto é manejado de modo sustentado, sem causar danos ao meio ambiente. “Isso comprova que é possível gerar renda e, ao mesmo tempo, manter a floresta intacta. O ribeirinho sabe muito como fazer isso, afinal de contas, é o espaço onde ele vive e de onde tira o sustento”, afirma Josenildo Costa da Silva o presidente da Cofruta.
A cooperativa administra uma unidade industrial de processamento de frutas com capacidade instalada de 800kg por dia. Inicialmente, a unidade teve como meta de trabalho produzir xaropes e geléia de frutas para merenda escolar de Abaetetuba e municípios vizinhos. Contudo, devido à inconstância desse mercado, a Cofruta foi obrigada a modificar a sua linha de produtos e atuar já em seus primeiros anos no mercado de polpas congeladas. Principalmente, com o fruto açaí, cuja demanda de mercado vem crescendo 100% ao ano.
Atualmente, a cooperativa vem ganhando mercado na comercialização de polpa congelada, principalmente no estado de São Paulo e Rio de Janeiro.

Contato:
Josenildo
Passagem Coração de Jesus nº152, Algodoal
CEP: 68440-000 Abaetetuba - Pará
Tel.: (91) 3751 4955 / 3751 1181
e-mail:  Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

COPPALJ - Cooperativa dos Pequenos Produtores Agroextrativistas de Lago do Junco Ltda.

A COPPALJ - Cooperativa dos Pequenos Produtores Agroextrativistas de Lago do Junco Ltda. foi fundada em 15 de abril de 1991 e nasceu do movimento de mulheres pela luta de manter o babaçu livre. Tiveram o apoio da igreja para industrializar o processo de extração e concentração do óleo de babaçu.   Atualmente contam com 147 sócios, distribuídos em oito cantinas comunitárias. Todos os trabalhadores são associados e passam por capacitações em todos os setores da cooperativa. A produção de coco é recolhida nas cantinas pelo caminhão da cooperativa de 8 em 8 dias durante a safra, e de 15 em 15 dias na entre safra. A venda no mercado nacional ainda é pequena, realizando a maior parte das vendas no mercado externo. São certificados pelo IBD (orgânicos).

Contato:
Waldernei
Rua Nova Brasília, 200 – Bairro: Nova Brasília
CEP: 65710-000 - Lago do Junco - Maranhão
Tel.: (99) 3634 1463 / 3642 2152
email: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

ACS Amazônia - Associação de Certificação Socioparticipativa da Amazônia

Fundada em 09 de agosto de 2003, a ACS Amazônia (Associação de Certificação Socioparticipativa da Amazônia) é uma entidade civil, sem fins lucrativos que vem expandindo suas experiências e alcançando reconhecimento a nível nacional. Sua missão é “Garantir um processo de certificação diferenciado que envolva instituições, comunidades e consumidores, proporcionando a melhoria da qualidade de vida, a auto- suficiência, a soberania alimentar e a equidade social, através da valorização cultural e das relações socioambientais dos povos da Amazônia”. Envolve 8 grupos produtivos, uma feira de comercialização e um sistema participativo de garantia em agroecologia. Pertence a ANA, ao FACES e ao fórum da ecosol. Há um apego muito grande às questões ambientais, discurso e prática de conservação ambiental. As questões logísticas dificultam a comercialização nacional, muitas vezes priorizada no internacional.

Contato:
Marcos Vinicius
Tel.: (68) 9229 5515
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
site: http://67.15.172.14/~amazonli/acs-amazonia//index.php

SAPOPEMA – Sociedade dos Povos para o Eco Desenvolvimento da Amazônia

A SAPOPEMA é um instrumento econômico, que comunidades indígenas e caboclas que a fundaram ou que se agregam a ela, querem usar para construir o seu próprio desenvolvimento. É formada por 4 grupos, sendo 2 produtores de guaraná, um exportador e uma ONG. É uma sociedade entre povos, que semelhante a sapopema, se reúne numa grande árvore. Trata-se de uma reunião num único esforço de produção, comercialização e mútua cooperação para uma economia solidária que vai se construindo. Seu principal produto é o guaraná – orgânico e certificado. Priorizam o mercado internacional.

Contato:
Rivaldo Gonçalves
Av. Rodrigo Otavio, 1866 - Módulo 2 - Distrito Industrial
Manaus - AM - CEP: 69076-620
Tel.: (93) 3216 3877 / (92) 3237 1823
email: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

COOMFAMA – Cooperativa Mista da Agricultura Familiar de Marabá

Esta cooperativa, fundada em 14 de outubro de 2002, foi criada como estratégia de estruturação da FECAT. Atualmente com 76 sócios, sede própria de uso comum com a FECAT em Marabá e uma nova estratégia priorizando o comércio local. Possui uma loja aberta ao público onde vende alguns produtos da agricultura familiar como arroz, farinha, óleo de andiroba, óleo de castanha, polpa de frutas conforme a safra. No período da safra das frutas, realiza a organização da produção diretamente direcionada para FECAT, que faz a transformação (polpa), embalagem e vende para grandes compradores do sul do país. A FECAT hoje é uma central de cooperativas e tem uma força política muito grande na região, tendo nascido da luta agrária.

Contato:
Aldençon
Endereço: Folha 28 Quadra 31 Lote 06 Bairro: Marabá
CEP: 68506-000 Marabá- Pará
Tel.: (94) 9162 8823

 
Região Nordeste Imprimir E-mail

Coordenação regional: Visão Mundial

Rede Xique-Xique de Comercialização Solidária

A Rede Xique-Xique de Comercialização Solidária tem origem no movimento feminista, uma estrutura totalmente auto-gestionária e sua sede fica na cidade de Mossoró (RN), situada na região oeste do estado do Rio Grande do Norte. É fruto de um amplo processo de construção coletiva dos grupos produtivos, com a contribuição de um conjunto de organizações da sociedade civil que, atuando em diferentes áreas, lutam pela autonomia e melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade. A Rede comercializa e produz dentro dos princípios da agroecologia e da economia solidária. A relação direta com os consumidores se dá através das feiras.

Contato:
Francisca Eliane de Lima Viana
Avenida Rio Branco nº 1442 – Boa Vista
Rio Grande do Norte
Tel.: (84) 3316 1315
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Ética

A Ética trabalha para promover o desenvolvimento sustentável em comunidades menos favorecidas, criando oportunidade de emprego e renda para todos, através da comercialização dos produtos, tanto no mercado interno como no externo. Tudo o que as comunidades parceiras da Ética produzem obedece ao mais alto padrão de qualidade e tem preço justos. Entre os produtos comercializados estão artesanatos, confecções, produtos agropecuários convencionais e orgânicos.

Contato:
Edson Marinho
Rua da Concórdia, 677
CEP 50020-050 - São José - PE
Tel. / Fax: (81) 3081 5600
Site: http://www.eticabrasil.com.br/site/index.php
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Rede Abelha

A Rede Abelha Nordeste, que já existe há 14 anos é uma articulação de grupos comunitários, associações, cooperativas, ongs e pastorais ligados à criação de abelhas. Seu principal objetivo é criar espaços para a troca de experiências e discussões sobre a produçaõ e comercialização do mel. Atua em rede na cadeia da apicultura e meliponicultura dos estados do Nordeste do Brasil.

Contato:
Paulo Roberto Palhano
Rua Cajazeiras, 357 – Cidade da Esperança
CEP: 59071-560 – Natal - RN
Fone: (84) 3205 2896
Site: http://www.comeias.org.br
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ou Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Cooperativa Art Gravatá

O Círculo de Trabalhadores Cristãos de Gravatá, fundado em 20 de maio de 1962, mantém sob sua responsabilidade 3 escolas na periferia da cidade, que atendem 400 crianças carentes na educação infantil e ensino fundamental. Em sua sede funciona a Cooperativa Art Gravatá, composta por jovens que fabricam brinquedos educativos e materiais pedagógicos em madeira. Parte da produção  é revertida para as obras sociais que o Círculo realiza. A boa receptividade aos produtos junta às escolas e clínicas especiais de todo o Nordeste, comprova sua qualidade. Atualmente 70% das vendas são feitas pela Internet e o foco é o mercado nacional. Até hoje, venderam muito pouco para o mercado internacional.

Contato:
Mario Sérgio
Rua Cleto Campelo, 96 - Centro
CEP: 55641-000 – Gravatá - PE
Tel.: (81) 3533 0501
Site: http://www.artgravata.com.br/
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Associação de Pequenos Produtores Manga Brasil

A Associação de Pequenos Produtores Manga Brasil foi fundada em fevereiro de 2004. A manga é o principal produto da Associação e responde por cerca de 70% da produção do perímetro, sendo a Tommy Atkins a principal variedade cultivada, mas cultivam também as variedades Palmer e Kent, além de outros produtos como o coco, maracujá e limão. Os lotes agrícolas são explorados a partir de mão-de-obra familiar. As frutas produzidas são de excelente padrão de qualidade seguindo recomendações técnicas, cujo objetivo é a produção de alimentos de modo seguro. A Associação dispõe de um packing House próprio com área de 660 m2, equipado com câmara fria para armazenamento da fruta, túnel de refrigeração, máquina selecionadora, etc. Esta estrutura tem capacidade para processar 1 contêiner/dia para o Mercado Europeu. A venda para CJS internacional é promovida por uma agência internacional. Abriram também, por conta própria, a venda no mercado nacional.

Contato:
Regiane
Rua Flores, s/n - Centro
CEP: 48905-090 Juazeiro – BA
Tel.: (74) 3617 8293
e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.